A batalha interna que nos mata aos poucos

Tempo de leitura: 2 minutos.

Sem saber, a cada dia tomamos dezenas, senão centenas, de pequenas decisões que vão na direção dos nossos objetivos, ou na direção contrária!

E mais uma vez, postergamos aquilo que é relevante para nossa vida, família, carreira, relacionamentos, …

Uma das razões pelas quais procrastinamos é porque não temos clareza do próximo passo em um projeto. Aqui me refiro a um projeto como um conjunto de atividades necessárias para atingir um determinado resultado não-trivial. Beber um copo d’água não é um projeto. Comprar um carro é.

Vejamos um exemplo. Nosso cérebro tem dificuldade de entender “relatório”. Até entende o conceito, mas não consegue identificar rapidamente o que precisa ser feito em relação a atividade “relatório”. Por isso, não conseguimos obter a energia necessária para lidar com “relatório”. Então, procrastinamos, pois nossa mente pensa “relatório… nossa, é muita coisa, muito complicado, vou para o youtube então”.

Mais uma vez, perdemos a batalha interna… E mais uma vez nos matamos um pouco deixando de fazer aquilo que é importante!

Para definimos o próximo passo no projeto, “relatório”, chegamos a conclusão (óbvia!) de que existem etapas. Por exemplo: levantar requisitos, pesquisar bibliografia, criar índice, escrever capítulo número 1, etc.

Ainda que não tenhamos clareza absoluta de todos os passos ou etapas (e provavelmente estas etapas mudarão no decorrer do projeto de qualquer forma), quando temos um alvo específico, um primeiro passo, nosso cérebro consegue nos ajudar a obter energia e foco para atingir esta primeira etapa.

Se você definir o primeiro passo como “levantar requisitos”, uma parte de você entende que é uma atividade mais simples, menor e que levará você na direção do resultado final “relatório”.

Você sabe o que é necessário para levanta requisitos: o que se espera do relatório, o que precisa estar no relatório, o que é opcional, etc.

Pausa para reflexão: quais projetos estão parados na sua “gaveta” chamada “um dia eu faço”? Que tal pegar um destes projeto que é realmente importante para você e simplesmente dividir em pedaços? E na sequência determinar o primeiro passo e se comprometo, neste momento, com apenas com esta etapa.

Vai lá. Faça o exercício: são só 5 minutos!

É o que basta para você se motivar, concluir este passo e se comprometer a fazer o seguinte, e depois o próximo, e assim por diante.

Quando entramos em movimento e damos um primeiro passo, por menor que seja, enviamos uma mensagem clara para o nosso subconsciente de que é possível e basta fazer apenas um pedacinho de cada vez.

E você irá vencer a batalha interna pois se posicionou estrategicamente para a vitória.

PS. Deixe aqui seu comentário, feedback, dúvida ou crítica.

PS2. Este artigo foi relevante para você? Curta e compartilhe.

PS3. Quer aprender a superar a procrastinação de uma vez por todas? Seja você também um Mestre do Tempo.

___________

Carlos Hoyos é especialista em elevação de performance executiva/empresarial. Ajuda empresários e influenciadores a desenvolverem suas empresas, seus negócios e carreiras. Já liderou equipes e projetos multidisciplinares, multi-sites e multi-culturais na IBM Estados Unidos e Motorola Brasil.