Aprendendo Networking com as crianças

Tempo de leitura: 2 minutos.

KidsSe você convive com crianças de 4 a 7 anos, você sabe que elas serão diretas, não vão enrolar você e não vão perder tempo com você se não for interessante e não quiser brincar no nível delas. Quando brigam, logo fazem as pazes, não lembram mais do que aconteceu e voltam a brincar juntas.

Eu tive a oportunidade de me deparar com esta analogia de aprender networking com as crianças quando entrevistei Lincon Guassi para a CONFNetworking. Grato meu amigo por me mostrar algo tão simples e importante!

Muitas pessoas quando fazem networking (de forma amadora), não tem foco, não tem propósito, não sabem o que estão fazendo, ou seja, enrolam, enrolam, enrolam. Perdem tempo com elas mesmas, perdem tempo das pessoas com quem estão falando. Se crianças não gostam destas pessoas, imagine adultos, empresários e líderes que tem mais o que fazer…

E pior ainda, quando amadores fazem networking (ou pensam que fazem) são altamente desinteressantes, inapropriados e tantas vezes irritantes e desagradáveis. Não sabem quando parar! Se crianças vão chorar com este comportamento e se afastar o mais rápido possível, nós adultos só não fazemos isso pois aprendemos pelas regras de etiqueta “que é feio chorar e sair correndo do seu amiguinho”. Mas cá entre nós, é o que dá vontade de fazer as vezes, não?

E nós não queremos “brincar” quando o networker amador não sabe trabalhar no mesmo nível, ou seja, quer sugar, pedir, vender sem ao menos ter oferecido algo! Não há nada de errado em vender. Só que é um processo completamente diferente de networking. Em networking nós trabalhamos as “finanças” do capital social. Depositamos, depositamos e depositamos para quando precisarmos retirar, termos saldo.

E finalmente, networkers amadores guardam rancor, tem um ego infladíssimo, se magoam facilmente, puxam o tapete, são egoístas, são takers (tomadores). Mais cedo ou mais tarde vão ficar sozinhos no playground. Crianças sabem superar desavenças, esquecem rápido e logo estão brincando juntas novamente.

Em resumo, fazer networking como as crianças é assim:

  • Não enrole, não perca tempo das pessoas
  • Seja interessante, seja agradável
  • Brinque no mesmo nível: dê antes de esperar receber
  • Não guarde rancores, aprenda a trabalhar em equipe

E aproveitando: feliz dia das crianças! Afinal de contas, se queremos ser networkers profissionais, podemos aprender a ser um pouco mais como elas.

___________

Carlos Hoyos é Coach Empresarial, especialista em Networking Profissional com qualificação internacional em Marketing por Referências. Ajuda empresários e líderes a desenvolverem suas empresas e seus negócios. Já liderou equipes e projetos multidisciplinares, multi-sites e multi-culturais na IBM Estados Unidos e Motorola Brasil. É idealizador e organizador da CONFNetworkingprimeira Conferência Internacional online de Networking profissional do Brasil e da comunidade Networker Profissional.