2016 – O Ano Extraordinário

Tempo de leitura: 3 minutos.

Este artigo é para pessoas que são ou querem ser positivamente “anormais”.

ex.tra.or.di.ná.rio: adj ( extra+ordinário) 1 Fora do ordinário, que não é conforme à ordem; anormal. 2 Que não se faz de ordinário. 3 Adicional.
4 Admirável, espantoso, grandioso.
5 Muito distinto; insigne.http://michaelis.uol.com.br/

Pessoas e empresas medíocres apresentam resultados medíocres, ou seja, na média. Não há problema algum em estar na média. Não há problema algum em ser medíocre. Mas este artigo não é para aqueles que estão satisfeitos com a mediocridade.

Repito, este artigo é para pessoas que querem ser positivamente “anormais”. E também não há problema algum em ser anormal. Vejamos:

https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/8/8c/Standard_deviation_diagram.svg

Este gráfico é uma distribuição normal. É utilizado para demonstrar, explicar e justificar fenômenos observados com muita regularidade no cotidiano, aquilo que chamamos de “normal” ou “normalidade”.

Tecnicamente, para uma dada população e uma dada variável sendo analisada, a vasta maioria desta população está no meio do gráfico, ou seja, desde um pouco abaixo da média até acima dela (azul escuro no gráfico).

Uma outra parcela menor desta população, representada em azul moderadamente escuro, está nos baixos e altos resultados em relação a variável.

Já a minúscula parte da população, em azul claro, apresenta resultados baixíssimos ou altíssimos em relação a esta variável.

Suponha que estamos avaliando notas de provas das crianças brasileiras e que notas sejam distribuídas usando a curva (ou distribuição normal).

Nota nerd: estou usando de liberalidade e otimismo de considerar desta forma, pois sabemos que na prática a curva normal de notas de crianças brasileiras está deslocada no seu eixo horizontal para a esquerda).

Existe uma grande parte da população de crianças que está próxima do 5.0, conhecido por alguns como “cinco bola”. Também existe uma baixíssima parcela que está próxima do zero e outra próxima do 10.

Continuando o exemplo, dependendo do colégio onde você estudou, se você estava sempre próximo do 10, era um nerd, deslocado da turma do “fundão”, das garotas e garotos populares, os normais (afinal, você era um CDF, anormal, babaca, e outros nomes ainda menos elegantes).

Se você chegou até aqui, notadamente você é positivamente “anormal”, pois a maior parte das pessoas não tem paciência para ler um texto com mais de 3 linhas, 144 caracteres ou que não seja a frase numa imagem bonitinha no Facebook.

Este artigo é para você.

Nosso contexto atual de vida, de carreira, financeiro, empresarial, de relacionamentos é um mero reflexo de nossas decisões e atitudes passadas. Estou chovendo no molhado.

A questão é que as reclamações continuam, a crise continua. Pior, a crise da crise (aquela gerada pelo medo, inação, paralisia, covardia) continua.

Chega. Se você deseja que 2016 termine de uma forma melhor do que 2015 está terminando, não reclame. Faça algo a respeito.

Aqui fica meu convite, seja positivamente anormal. Escolha o alto desempenho. Afaste-se dos “garotos e garotas populares” que não querem nada com nada. Fuja do “fundão” da reclamação, da mesmice, da preguiça, do conformismo, da anormalidade negativa, como o diabo foge da cruz.

Participe do webinário: 2016 – O Ano Extraordinário.

Uma coisa é certa, se você participar do webinário estará entre iguais, aqueles que tem ojeriza pela mediocridade, aqueles que buscam ser positivamente “anormais”.

Neste webinário não vamos falar de curva normal. Fique tranquilo. Vamos apoiar você a conquistar um ano que pode ser seu ano de virada. O webinário é ao-vivo e gratuito, mas por questões técnicas as vagas são limitadas.

Faça de 2016 seu Ano Extraordinário.